Skip to content
02/08/2007 / Thiago

Respostas dos Exercícios da Prova 201

Resolveram as questões?🙂 Espero que tentem resolvê-las, pois não há melhor segredo para qualquer estudo que o treino das habilidades adquiridas. Então, como prometido, vamos às respostas de cada uma das questões.

Para ficar mais simples, irei colocar na íntegra as questões com a(s) alternativa(s) e uma explicação sobre a resposta correta logo abaixo.

Questão 1

Qual das seguintes atividades devemos realizar antes de poder utilizar uma imagem Initrd em um sistema Debian?

  1. Criar um kernel monolítico.
  2. Trocar do LILO para o GRUB.
  3. Compilar suporte a cramfs no kernel.
  4. Instalar todos os módulos necessários ao Initrd.

Explicação: No Debian, ao contrário do que ocorre no RedHat, é necessário, para a geração da imagem Initrd, que o kernel possua suporte a Cramfs (compressed ROM filesystem), que é um sistema de arquivos somente leitura utilizado na imagem de inicialização, assim como o Squashfs. Veja como criar uma imagem Initrd no Debian aqui.

Questão 2

Foi pedido a você que transfira o conteúdo de um pequeno disco rígido (/dev/hdb) para um grande disco rígido (/dev/hdc). Qual dos seguintes comandos irá fazer isso de maneira mais eficiente?

  1. cp -s /dev/hdb/hdc
  2. dd if=/dev/hdb of=/dev/hdc
  3. dd bs=8k if=/dev/hdb of=/dev/hdc
  4. dd bs=1k if=/dev/hdb of=/dev/hdd

Explicação: Utilizar o dd especificando o tamanho dos blocos a serem copiados é uma maneira mais eficiente do que fazer com que o dd copie byte a byte os dados da origem. O ideal é que o tamanho do bloco especificado seja algum múltiplo próximo do tamanho do bloco do sistema de arquivos.

Questão 3

Quais das seguintes linhas contêm informações em tempo-real que podem nos ajudar a resolver problemas NFS? (Escolha dois)

  1. /proc/fs/exports
  2. /etc/fstab
  3. /etc/exports
  4. /proc/fs/nfsd

Explicação: Os meta-arquivos contidos no /proc possuem informações sobre o estado do daemon NFS e a lista de sistemas de arquivos exportados. Informações sobre o NFS aqui.

Questão 4

Qual das seguintes linhas envia todas as mensagens de nível emerg para o arquivo /var/log/emerg.log?

  1. /var/log/emerg.log emerg.*
  2. *.emerg /var/log/emerg.log
  3. /var/log/crit.log /dev/console:0:/var/log/emerg.log
  4. emerg.* /var/log/emerg.log

Explicação: A sintaxe correta do arquivo syslog.conf é: “facilidade.nível ação”. Veja mais sobre syslog aqui.

Questão 5

Você deseja temporariamente proibir um usuário de utilizar a conta chamada funcionario1 em seu controlador de domínio Samba. No entanto, o mesmo usuário deverá poder ainda ter acesso a outros recursos, como se autenticar no servidor X e SSH. Qual é a melhor solução para realizar isso?

  1. Editar o arquivo /etc/passwd como root e inserir um caracter de comentário (#) no usuário funcionario1.
  2. Executar smbpasswd -x funcionario1.
  3. Editar o arquivo /etc/samba/smbusers e inserir um caracter de comentário (#) no usuário funcionario1.
  4. Executar smbpasswd -d funcionario1.

Explicação: A opção “-d” da ferramenta smbpasswd apenas desabilita o usuário na base de dados do Samba, que por sua vez não é utilizada para a autenticação do usuário em nenhum dos serviços citados (X, SSH). Mais sobre o Samba aqui.

Questão 6

Considere o seguinte trecho de código.

%files -f %{name}.lang
%defattr(-,root,root)
%doc CHANGES COMPAT NEWS NOTES POSIX
%doc doc/FAQ doc/INTRO doc/article.ms

A que tipo de código isso se refere?

  1. Um arquivo Debian
  2. Um típico Makefile
  3. O arquivo /etc/manpath.config
  4. Um arquivo SPEC RPM

Explicação: A seção %files é utilizada nos arquivos pacote.spec, que fazem parte dos pacotes SRPMS (Source RPM). Na seção são especificados atributos para os arquivos, bem como identificação dos tipos entre eles. Mais informações sobre isso aqui.

Questão 7

Você não está com o servidor Samba em execução. Você vê o arquivo /etc/samba/smb.conf e verifica as seguintes linhas não-comentadas.

wins support = yes
wins server = 10.10.10.10

Observando essas linhas, você pode identificar o problema sendo:

  1. Seu servidor Samba está tentando acesso a um servidor WINS inoperante.
  2. O servidor WINS está utilizando endereço privado.
  3. A entrada deveria ser “wins support = 1″.
  4. O servidor Samba está configurado como cliente e servidor WINS simultaneamente.

Explicação: O parâmetro wins support = yes, utilizado no arquivo /etc/samba/smb.conf, torna o servidor Samba o servidor WINS primário da rede, de maneira que não é possível que um servidor primário WINS seja cliente de outro servidor WINS. Mais informações sobre Samba aqui.

Questão 8

Você baixou a última versão do kernel Linux. Qual das etapas a seguir deverá ser realizada antes de se executar um make gconfig?

  1. oldconfig -p
  2. make restore
  3. make oldconfig
  4. make mrproper

Explicação: Para que seja possível realizar a compilação do kernel, é necessário que haja previamente criado as configurações do mesmo. O comando make oldconfig irá reaproveitar as configurações do kernel anterior e apenas interagir com o usuário quando houver opções que não haviam no kernel anterior. Mais informações sobre o Kernel e sua compilação aqui.

Questão 9

Você deseja rodar o fsck em um sistema de arquivos de maneira não agendada. Além disso, qualquer reparo necessário deverá ser realizado automaticamente. Quais opções do fsck que teremos que utilizar? (Escolha dois)

  1. -y
  2. -f
  3. -n
  4. -r

Explicação: A opção “-y” irá configurar o fsck para que responda por “yes” a qualquer pergunta binária que seria realizada ao usuário. A opção “-f” irá forçar uma checagem no sistema de arquivos mesmo que ele tenha sido recentemente checado. Mais informações sobre a ferramenta fsck aqui.

Questão 10

Um usuário não consegue se logar. Você verifica no arquivo /etc/shadow que existe apenas um asterisco no segundo campo da entrada do usuário no arquivo. O que deverá ser feito para resolver o problema?

  1. Editar o arquivo /etc/shadow usando um editor de texto e entrar com a senha padrão.
  2. Usar o comando passwd para criar uma nova senha para o usuário.
  3. Usar o comando shadowconfig para criar um novo arquivo shadow, porque o anterior se encontra corrompido.
  4. Editar o arquivo /etc/shadow e remover o asterisco.

Explicação: A única maneira de inserir uma senha válida para usuários é através da ferramenta passwd, que através de algoritmos de criptografia hash, cria o resultado que será armazenado no arquivo /etc/shadow.

Questão 11

Qual das seqüências abaixo descreve a correta ordem do boot?

  1. O gerenciador de boot inicia, carrega o kernel, inicializa o hardware, inicia os serviços.
  2. O gerenciador de boot inicia, inicia os serviços, inicializa o hardware, carrega o kernel.
  3. Inicializa o hardware, o gerenciador de boot inicia, carrega o kernel, inicia os serviços.
  4. O gerenciador de boot inicia, inicializa o hardware, carrega o kernel, inicia os serviços.

Explicação: Mais informações sobre o processo de boot podem ser obtidas aqui.

Questão 12

Considerando o arquivo /etc/exports.

/share cliente1(rw)
/share cliente1 (rw)

Qual o resultado dessas duas entradas?

  1. A entrada de cima irá exportar o diretório /share com permissão leitura-escrita para qualquer usuário do host “cliente1″. A entrada de baixo irá exportar o diretório /share com permissão somente-leitura para qualquer usuário de qualquer host.
  2. A entrada de cima será ignorada, porque existe um erro de sintaxe. A entrada de baixo irá exportar /share com qualquer um do host “cliente1″ com permissão leitura-escrita.
  3. A entrada de cima irá exportar o diretório /share com permissão somente-leitura para todos os hosts, com exceção de “cliente1″. A entrada de baixo irá exportar /share com permissão somente-leitura para o host “cliente1″, mas com permissão de leitura-escrita para os outros hosts.
  4. A entrada de cima irá exportar o diretório /share com qualquer usuário de “cliente1″ com permissão leitura-escrita. A entrada de baixo será ignorada porque não está formada de maneira correta.

Explicação: O espaço existente entre o nome do host e as opções na segunda entrada é considerado um erro de lógica, que irá causar a interpretação separada do “cliente1” com “(rw)”. Ou seja, o host “cliente1” terá as opções padrões (ro,all_squash,sync) aplicadas a ele. Quando não há especificado o host, consideramos que seja qualquer um, ou seja, “*”. Podemos reescrever a segunda entrada: /share cliente1(ro,all_squash,sync) *(rw). Maiores informações sobre o NFS aqui.

Questão 13

Você deseja verificar a última vez que foi escrita alguma informação de boot na partição /dev/hda2. Quais dos seguintes comandos fazem isso? (Escolha dois)

  1. tune2fs -l /dev/hda2
  2. fsck -l /dev/hda2
  3. fdisk -l /dev/hda2
  4. dumpe2fs -h /dev/hda2

Explicação: Ambas as ferramentas produzem as mesmas informações. Maiores informações aqui.

Questão 14

Qual dos seguintes fatores não influencia na escolha do tipo de mídia a ser utilizada em um backup?

  1. Quão freqüente os dados se modificam.
  2. Quanto tempo precisa preservar os dados.
  3. Quantidade de dados a ser gravada.
  4. Qual a freqüência de acesso ao backup.

Explicação: Quantas vezes o dado é modificado é irrelevante após ele ter sido “backupeado”.

Questão 15

Você tem cinco discos de 18GB cada, utilizados em um RAID 5, com um desses discos utilizados como spare. Qual o espaço real de armazenamento?

  1. 18GB
  2. 34GB
  3. 54GB
  4. 72GB
  5. 90GB

Explicação: Temos cinco discos de igual tamanho. Porém, um dos discos não será utilizado diretamente, ao ser designado apenas como spare, ou seja, disco de backup. Sendo assim, temos 4 discos para aplicar RAID 5. No esquema RAID 5, considerando que possuímos um mínimo de 3 discos, sempre haverá a perda do espaço equivalente ao de um deles para o armazenamento da paridade dos dados gravados. O que diferencia o RAID 5 do RAID 3 é onde será localizada a paridade, sendo que no primeiro esses dados são gravados ao longo de todos os discos, enquanto no segundo há um disco dedicado para esse propósito. Teremos espaço então equivalente a 3/4 da soma dos quatro discos. 18 GB + 18 GB + 18 GB = 54 GB. Mais informações sobre os tipos de RAID e como configurá-los aqui.

Questão 16

Você tem que montar um volume NFS exportado como /data no host chamado “servidor”. O host não suporta locking. Qual deve ser o comando apropriado para realizar isso?

  1. mount -a -t nfs
  2. mount -o locking=off servidor:/data /mnt/data
  3. mount -o nolocking servidor:/data /mnt/data
  4. mount -o nolock servidor:/data /mnt/data
  5. mount -o nolock/data@servidor /mnt/data

Explicação: Antigos servidores talvez não suportem o recurso de locking, sendo assim, é necessário o uso da opção de montagem nolock. Maiores informações sobre NFS aqui.

Questão 17

Para listar os sistemas de arquivos exportados por um servidor NFS podemos utilizar o comando _________ -e servidor.

  1. show
  2. mount
  3. showmount
  4. shownfs
  5. nfsclient

Explicação: A ferramenta showmount exibe a tabela de sistemas de arquivos remotos exportados. Maiores detalhes sobre a ferramenta e o NFS aqui.

Questão 18

Quando uma partição está formada como ext2, uma porcentagem dos blocos é reservada para uso do usuário root. Depois de criado o sistema de arquivos, qual o utilitário que podemos utilizar para modificar isso?

  1. hdparm
  2. mke2fs
  3. tune2fs
  4. mount
  5. e2fsck

Explicação: Parâmetros do sistema de arquivos normalmente são configurados utilizando a ferramenta tune2fs. Maiores detalhes sobre ela aqui.

Questão 19

Se um compartilhamento é criado no servidor Samba, porém, não é especificada a variável path, a qual dos seguintes diretórios o compartilhamento irá se referenciar?

  1. /tmp
  2. /var/spool/samba
  3. ~/.samba
  4. /var/samba
  5. /var/samba/tmp

Explicação: Quando não há o parâmetro path no arquivo de configuração /etc/samba/smb.conf, o compartilhamento será realizado no diretório .samba na pasta pessoal do usuário que foi autenticado. Maiores informações aqui.

Questão 20

Qual comando é utilizado para re-adicionar uma partição ao controle do software RAID?

  1. raidhotadd
  2. raidadd
  3. addraid
  4. raidaddhot

Explicação: A ferramenta raidhotadd permite a adição de discos spare em um RAID de maneira que o sistema não precise ser desligado. Mais informações sobre RAID aqui.


Dúvidas sobre alguma explicação ou resposta, é só enviar um comentário para cá que a gente tenta ajudar! Até mais!🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: